segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

"Eu Tenho Um Sonho"

Sim... Eu tenho um sonho, e creio que ele seja igual ao de Martin Luther King...
Meu sonho é de ver o Brasil, essa terra de qualidades e defeitos impar, um pais mais justo; longe da violência, um país educado e com paz. ..

Será possível? Eu acho que sim; preciso acreditar que sim, mas também acho que depende de uma ação conjunta, que envolva a todos os setores, o da sociedade, o público e o privado...
Outra campanha? Sim; outra, e se for necessário outra e outra, até realmente nos conscientizamos que :

Queremos Paz, Queremos Justiça, Queremos Vida e Querermos Agora !

E é o que aqui e o agora que começaremos a construir; peço a cada um que leia este texto que espalhe este desejo, esta vontade...Espalhe, divulgue; envie e-mail a vizinhos, amigos, chefes, políticos, artistas; envie torpedos, lembretes em mesa de trabalho, faixa no carro, cartaz na janela...É preciso fala, comentar, criar eventos, modelos, concursos, desenhos...Gritar..

Nós queremos paz! E queremos agora!

Eu sei que não é assim que as coisas funcionam... melhor, todos nós sabemos... Sei que existe um caminho a percorrer; e, ele não é curto... Os exemplos já nos foi dado por Martin Luther King e por vários outros líderes que, em várias partes do mundo, adotaram a não violência como princípio...

Basicamente, e em uma grossa simplificação funciona assim: Não faço aos outros o que não desejo para mim; neste aspecto a não violência começa no pequeno gesto...

Passa (e muito) pela educação (que leva a um outro passo), o da integração econômica, nas reformas administrativas, políticas e judiciário; passa principalmente por melhores condições de vida...

O que temos de fazer então é começar um caminho que possamos chamar a atenção da grande maioria... Se efetivamente quisermos paz - e todos nós a queremos - temos de começar agora.

Queremos paz! E queremos agora!

Que todos tenha uma ótima semana...

Ps.: Texto totalmente baseado na Campanha iniciada no Blog Chega Mais do meu amigo Dácio Jaegger ( link aí ao lado) ...

5 comentários:

Manoel Carlos disse...

Creio que o primeiro passo é nós não aceitarmos a impunidade, não podemos ter presidente da república antiético e imoral que justifica seus crimes por outros já os terem praticado, não podemos ter presidente do supremo tribunal (o anterior) que se jacta de ter fraudado a Constituição, nem podemos cometer pequenos delitos como se, por serem pequenos, não fossem delitos.

dácio jaegger disse...

Tânia, minha cronista preferida, que bom que vc se alia à família do pequeno João, que vivia a sua paz, até o momento de conhecer pela primeira e última vez, a mais atroz violência que eu já tomei conhecimento nos tempos atuais.
Ajunta-se, de outra forma a declaração, da Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie (vítima de violência branda)no mesmo Rio, que "critica nesta segunda-feira o posicionamento do Congresso de só discutir medidas de combate à violência quando fatos como estes ocorrem. Acha que "esses temas não podem ser discutidos em clima de forte emoção". Como se amanhã fosse ser editada uma medida provisória. Ora, começar já levará alguns meses, com ampla discussão, portanto não haverá comoção ou emoção, mesmo porque os homens sem alma do congresso são vacinadíssimos./ Beijos

Crys disse...

A que ponto chegou o homem, nem os animais, os irracionais, são capazes de tamanha atrocidade, pelo simples prazer de matar. Que espécie de natureza é essa que existe no monstro que fez essa barbárie?
Rezo pelo João, rezo pela família, para que Deus lhes dê o conforto necessário pra aguentar essa dor. Mas que isso sirva pelo menos pra fazer com que aqueles parasitas de Brasilia, aqueles POLÍTICOS SEM ALMA, acordem e saia do deitado eternamente em berço esplêndido. Temos que soltar esse grito preso na garganta pelos quatro cantos do mundo para que todos saibam como funciona o País do carnaval e do futebol! Desculpa amiga, minha indignação é muito grande. Um beijo!

QuincasB disse...

o aeroporto nos espera, babe

Bb disse...

A barbaridade que fizeram com o João me deixa enauseada só de lembrar. Sem comentários. Qualquer coisa que se fale ainda é mínimo diante da indignação que tomou conta do Brasil.
Muito, muito triste.

Beijo, Tanilda! =)